teus olhos me atravessaram

assim como a poesia atravessa teu corpo

e mesmo sabendo que é impossível uma reta paralela encontrar outra

nos encontramos

não nas nossas similaridades

mas nas nossas diferenças

um punhado dos teus eus e outros

junto com os meus

uma metamorfose diária das nossas notas musicais

corpos inquietos

e a calmaria de um encontro

que faz barulho

barulho de dança,

barulho de riso,

barulho de coração batendo além da conta

barulho que chamamos de amor

em um estado de perplexidade permanente com aquilo que chamam de amor