Tem poemas que começo e não quero terminar
Tem aqueles que penso
Mas palavras não existem para contemplar
Tem ainda os dolorosos
Que fazem o lápis chorar
E no meio da noite
Entre um respirar e um lamentar
As vezes surge uma ideia que faz o lápis dançar

--

em um estado de perplexidade permanente com aquilo que chamam de amor

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store