Recorte do tempo ao seu lado

Meus olhos teimam em permanecer abertos mesmo quando o sono deixa as pálpebras pesadas. É que a essa hora as batidas de um relógio antigo, que fica na sala de estar, anunciam a hora da sua chegada. E eu espero.

Espero porque por mais cansada que meu corpo esteja ele anseia por um abraço teu. Pelo teu cheiro tão característico que deixa rastros de saudade pela casa. Pelo teu sorriso contido. Pelo teu olhar que teima em desviar do meu. Pelo teu jeito envergonhado. Tua respiração que se perde entre a serenidade e o peso do fôlego.

Eu te espero porque ouvir você cantar baixinho antes de deitar é uma das coisas mais bonitas que eu já tive o prazer de ver.

Apesar de todo o cansaço eu te espero. Porque teu beijo tem gosto de amor. E as batidas do teu coração próximo ao meu se perdem descompassadas no tempo o qual passa a ser inexistente com tua chegada.

Te espero porque a eternidade ao teu lado ainda é pouco. E por mais que nosso para sempre nunca acabe eu agradeço todos os dias por ter você e vivo cada um deles como se fosse a última e a primeira vez.

Eu te espero. E não existe felicidade maior quando você adentra a casa, deixa a chave na escrivaninha e me procura com um sorriso no rosto. E bem ali, em um momento que para outros é banal, a sintonia acontece, mais uma vez.

em um estado de perplexidade permanente com aquilo que chamam de amor

em um estado de perplexidade permanente com aquilo que chamam de amor