Perder-se entre um verso e outro, reencontrar-se na proxima estrofe, abraçar as vírgulas, fazer desvios entre o primeiro e o último verso, olhar tudo em volta e respirar. Ouvir uma música que tem a cor dos teus abraços casa. Colorir teu cheiro. Cheirar teus sentidos. sentir teu existir aqui e agora, aqui e outrora, aqui infinitamente sem parar. Gotas de tempo, de chuva, de palavras que não são apenas parte, mas são o todo, são os sentidos traduzidos em metáforas. Porque só as metáforas para nos salvar.

--

em um estado de perplexidade permanente com aquilo que chamam de amor

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store