as vezes eu penso em guardar a poesia na concha das mãos
só pra derramar cada palavra indescritível e bonita
na composição das nossas existências
os efeitos sonoros das tuas frequências fazem um barulho bem bom aqui no coração
não sei o que aconteceu com o menino nômade
mas se eu fosse nômade
escolheria ser, apenas, com você ao meu lado

--

--

--

em um estado de perplexidade permanente com aquilo que chamam de amor

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Ana Graziely

Ana Graziely

em um estado de perplexidade permanente com aquilo que chamam de amor

More from Medium

Yes, We Can Still Save the Schulte!

THE WARRIORS THAT WERE NEVER CONQUERED

Don’t Just Do Something, Stand There.

Contemporary Mosaic Portraits Dazzle in California