À margem desse amor que te cerca

habitam outros tantos universos de desejos .

Nem sempre quero ser poeta,

mas sou quando te vejo.

Vivo por ti um amor secreto

Tão intenso quanto o reflexo da lua cheia no mar

Vivo um pouco do tormento que é te ver com um outro a sonhar.

Vivo a tua espera

Olhando através das janelas do nosso pesar.

Eu não quero ser poeta.

E é impossível deixar de te amar.

em um estado de perplexidade permanente com aquilo que chamam de amor

em um estado de perplexidade permanente com aquilo que chamam de amor